Jornal da Ordem
Rádio OABRS
Twitter
Facebook
Istagram
Flickr
YouTube
RSS

22.09.20

Advocacia em alerta | Os riscos de trabalhar sob extrema pressão

Felipe Ornell


Muitas profissões enfrentam altos índices de estresse, mas talvez em poucas isso esteja tão presente quanto na Advocacia - onde a pressão e a incerteza sobre os resultados são intrínsecas às práticas profissionais cotidianas. É comum que o dia a dia de um advogado envolva disputas judiciais e o gerenciamento de situações de alta tensão. Constantemente, acompanha histórias de violência, sofrimento e violação de direitos, sobre as quais é desafiado a encaminhar soluções. Além disso, há a cobrança contínua para se obter resultados excelentes, o que exige um alto grau de perfeccionismo em cada processo - que eventualmente esbarra em prazos curtos e na burocracia elevada.

Somado a tudo isso, os profissionais podem acumular aos seus os problemas dos clientes. Logicamente, o distanciamento emocional é indispensável para preservar a própria saúde mental, mas isso pode ser mais fácil na teoria do que na prática.

Há ainda a sobrecarga de trabalho, muitas vezes associada a falta de tempo para relaxar, e as relações profissionais de disputa que se estabelecem diante de um mercado competitivo. Por fim, é preciso lidar com a frustração quando as expectativas não são alcançadas.

O resultado deste conjunto de fatores pode ser a exaustão e a vulnerabilidade ao adoecimento psíquico. Atualmente, se sabe que os advogados têm 3,6 vezes mais probabilidade de sofrer de depressão do que os não advogados. Não é por acaso que pesquisas realizadas no Brasil e no exterior verificaram altos índices de estresse, ansiedade, depressão e abuso de substâncias psicoativas em profissionais do Direito (falamos disso AQUI e AQUI). Isso tem feito com que grande parte dos afastamentos laborais registrados na área jurídica no Brasil sejam decorrentes de problemas relacionados a saúde mental (falamos disso AQUI).

Todos estes elementos são fatores de risco conhecidos para o suicídio, o que torna os advogados uma população vulnerável. Nos Estados Unidos, um estudo anterior demonstrou que esta foi a terceira principal causa de morte de advogados, atrás apenas de doenças cardíacas e câncer. Em 2015 a American Bar Association (ABA) revelou que advogados estão em quarto lugar entre as classes profissionais que mais cometem suicídio no país, atrás de dentistas, farmacêuticos e médicos. No Brasil, ainda não há estatísticas consolidadas sobre o tema, mas sabe-se que 32 brasileiros tiram a própria vida a cada dia, somando mais mortes que a AIDS e que a maioria dos tipos de câncer. Além disso, o Rio Grande do Sul concentra as maiores taxas entre todos os estados brasileiros, revelando uma vulnerabilidade epidemiológica.

É importante ressaltar que para cada suicídio, 25 pessoas fazem uma tentativa e muitas mais pensam seriamente nele. Logo, para prevenir este desfecho trágico é fundamental que pessoas em risco acentuado sejam identificadas, acolhidas, protegidas e direcionadas para atendimento especializado.

Se você suspeitar que alguém próximo está em risco de suicídio, aborde-o. Mesmo que seus instintos sejam para evitar a situação, você pode ser o único a perceber e, portanto, o único com a oportunidade de ajudar esta pessoa. Embora possa ser desconfortável ter uma conversa sobre isso, esta atitude pode fazer a diferença. Se você quiser saber mais sobre como identificar e manejar pessoas em risco de suicídio, CLIQUE AQUI.

Referências

http://bvs.saude.gov.br/ultimas-noticias/3031-10-9-dia-mundial-de-prevencao-do-suicidio

https://www.americanbar.org/groups/lawyer_assistance/resources/stress/

https://www.businessinsider.com/most-suicidal-occupations-2011-10#19-natural-scientists-are-128-times-more-likely-to-commit-suicide-than-average-1

https://www.law.com/texaslawyer/2020/05/13/lawyers-are-at-high-risk-for-suicide-texas-program-aims-to-fight-back-to-help-attorneys-law-students/

https://www.conjur.com.br/2015-mar-31/aba-seccionais-tomam-medidas-conter-suicidios-advogados

https://www.abajournal.com/magazine/article/attorney_suicide_what_every_lawyer_needs_to_know

https://www.prainc.com/lawyers-and-suicide/

felipe para o site.jpg

Felipe Ornell

Psicólogo clínico, possui Residência em Saúde Mental (ESPRS) e especialização em Dependência Química; Mestre e Doutorando em Psiquiatria e Ciências do Comportamento (UFRGS). Pesquisador no Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas - Hospital de Clínicas de Porto Alegre / Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Editor da Revista Brasileira de Psicoterapia. Professor titular do curso de Psicologia da Faculdade IBGEN, Grupo Uniftec e responsável técnico pelo Previne Saúde Mental.


E-mail: felipeornell@gmail.com
Site: http://lattes.cnpq.br/5402861891632171

Encontre um Conveniado
Publicações Relacionadas
REDE DE
PROFISSIONAIS
COMO FUNCIONA
CAA/RS SAUDEMENTAL
Categorias
SERVIÇOS
BOLETIM INFORMATIVO. CADASTRE-SE!
REDES SOCIAIS E FEED
RSS
YouTube
Istagram
Facebook
Twitter
Flickr
JORNAL DA ORDEM
Jornal da Ordem
MAPA DO SITE
Abrir

CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO RIO GRANDE DO SUL

Rua Washington Luiz, 1110, 5º andar - Centro - CEP 90010-460 - Porto Alegre - RS | (51) 3287.7498 | presidencia@caars.org.br

Envie uma mensagem    |    Mapa de localização

© Copyright 2021 Caixa de Assistência dos Advogados do Rio Grande do Sul    |    Desenvolvido por Desize