Jornal da Ordem
Rádio OABRS
Twitter
Facebook
Istagram
Flickr
YouTube
RSS

11.08.20   |  TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

Inteligência Emocional | Habilidade que te torna melhor na Advocacia

Felipe Ornell


“O único remédio capaz de vencer a doença social é a Inteligência Emocional” (Daniel Goleman)

 

A maioria das pessoas já trabalhou com alguém que é tecnicamente brilhante, mas não possui habilidades de relacionamento interpessoal e de comunicação eficaz, o que significa que a convivência pode ser bastante difícil (ou até mesmo insustentável). Isso indica que um coeficiente de inteligência (QI) elevado pode garantir a aprovação no vestibular e a obtenção de um bom emprego, mas nem sempre é suficiente para manter a posição laboral ou para alavancar a carreira.  Logo, um outro elemento precisa ser desenvolvido: a Inteligência Emocional (IE).

O que é Inteligência Emocional?

IE não é um conceito novo, foi popularizado ainda na década de 90, quando Daniel Goleman afirmou que a IE pode ser um preditor de sucesso mais importante que o QI. A IE é a habilidade de reconhecer e gerenciar as próprias emoções e também de identificar os estados emocionais das outras pessoas (empatia). Isso permite manejar estados emocionais, gerenciar conflitos (internos e externos), tomar decisões assertivas e construir meios efetivos de comunicação. Não significa que a inteligência cognitiva deva ser subestimada, mas sim que ela pode não ser suficiente se outras habilidades não forem desenvolvidas, incluindo capacidades sociais, adaptação emocional, sensibilidade emocional, empatia, inteligência prática, resiliência entre outros.

Como desenvolver a Inteligência Emocional

O primeiro passo para o desenvolvimento da IE é a consciência sobre a importância e o impacto das emoções nas nossas atitudes e comportamentos. De acordo com Goleman, expandir a IE envolve cinco elementos que não são inatos, logo, podem ser aprendidos e cultivados:

  • Autoconsciência – habilidade de conhecer as próprias emoções, forças, fraquezas, impulsos, valores e objetivos, e reconhecer o impacto destes elementos sobre decisões, comportamentos e relacionamentos interpessoais.
  • Autorregulação – envolve manejar ou redirecionar as emoções e impulsos (principalmente diante de situações perturbadoras) e adaptar-se às novas circunstâncias (aproxima-se da ideia de regulação emocional).
  • Motivação – estar ciente das motivações internas (isso envolve a autoconsciência).
  • Empatia – capacidade de identificar, compreender e reagir de forma assertiva às emoções de outras pessoas (se colocar no lugar do outro).
  • Habilidade social – a habilidade de gerenciar conflitos, inspirar, influenciar e desenvolver outras pessoas.

Quais os benefícios de desenvolver a Inteligência Emocional?

Diante de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e de um cotidiano cada vez mais estressante, o desenvolvimento de habilidades interpessoais e de regulação emocional torna-se um determinante do sucesso profissional e da progressão na carreira, principalmente de líderes. Há estudos prévios demonstrando que pessoas com altos níveis de IE têm maior saúde mental, melhor desempenho no trabalho e melhores habilidades de liderança e maiores índices de felicidade. Além disso, as empresas demitem muito mais por questões comportamentais do que técnicas.

 

 Como a Inteligência Emocional afeta advogados?

A sensibilidade de perceber e compreender as emoções (próprias e de outras pessoas) seja em um escritório, em um departamento jurídico ou em uma audiência é um diferencial que pode otimizar os resultados. Advogados trabalham diretamente com conflitos, o que torna a empatia e a comunicação eficaz imprescindíveis. Além disso, diante do estresse constante as habilidades de reconhecimento e autorregulação emocional, permitem antecipar cenários e desenvolver estratégias para superação das adversidades. A IE também traz benefícios diretos para a negociação com clientes, convívio com colegas e para a persuasão nos tribunais. Essa habilidade proporciona confiança e cria conexões em um relacionamento, além de evitar conflitos.

 Com IE, você reconhece, aceita e regula as emoções e reações emocionais e comportamentais. Você aprende sobre si mesmo e avança para a compreensão das outras pessoas. Com IE, você aprende a insistir, a controlar seus impulsos, a se adaptar, apesar das adversidades e das dificuldades, a ter esperança e empatia. A IE fornece a você um mundo interior melhor para lidar melhor com o mundo exterior e com os relacionamentos.

Então fica o questionamento: além do desenvolvimento técnico você tem incluído o desenvolvimento emocional no planejamento de carreira? Lembre-se que a CAA/RS oferece atendimento psicológico presencial com condições especiais para a advocacia (você pode encontrar um conveniado clicando AQUI), ou on-line (clicando AQUI).

Por: Felipe Ornell, psicólogo

Josiane Javorski, psicóloga

 

Referências

Drigas AS, Papoutsi C. A New Layered Model on Emotional Intelligence. Behav Sci (Basel). 2018;8(5).

Gilar-Corbi R, Pozo-Rico T, Sánchez B, Castejón JL. Can emotional intelligence be improved? A randomized experimental study of a business-oriented EI training program for senior managers. PLoS One. 2019;14(10).

Goleman D, Boyatzis R. Social intelligence and the biology of leadership. Harvard business review. 2008;86(9).

Jacobson A. The Importance of Emotional Intelligence for Lawyers in the Workplace - ACCDocket.com: ACC; 2020 [Available from: https://www2.acc.com/docket/articles/emotional-intelligence-for-lawyers-in-workplace.cfm.

Srivastava K. Emotional intelligence and organizational effectiveness. Ind Psychiatry J. 2013;22(2):97-9.

 

felipe para o site.jpg

Felipe Ornell

Psicólogo clínico, possui Residência em Saúde Mental (ESPRS) e especialização em Dependência Química; Mestre e Doutorando em Psiquiatria e Ciências do Comportamento (UFRGS). Pesquisador no Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas - Hospital de Clínicas de Porto Alegre / Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Editor da Revista Brasileira de Psicoterapia. Professor titular do curso de Psicologia da Faculdade IBGEN, Grupo Uniftec e responsável técnico pelo Previne Saúde Mental.


E-mail: felipeornell@gmail.com
Site: http://lattes.cnpq.br/5402861891632171

Encontre um Conveniado
Publicações Relacionadas
REDE DE
PROFISSIONAIS
COMO FUNCIONA
CAA/RS SAUDEMENTAL
Categorias
SERVIÇOS
BOLETIM INFORMATIVO. CADASTRE-SE!
REDES SOCIAIS E FEED
RSS
YouTube
Istagram
Facebook
Twitter
Flickr
JORNAL DA ORDEM
Jornal da Ordem
MAPA DO SITE
Abrir

CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO RIO GRANDE DO SUL

Rua Washington Luiz, 1110, 5º andar - Centro - CEP 90010-460 - Porto Alegre - RS | (51) 3287.7498 | presidencia@caars.org.br

Envie uma mensagem    |    Mapa de localização

© Copyright 2021 Caixa de Assistência dos Advogados do Rio Grande do Sul    |    Desenvolvido por Desize