CAA/RS oferece auxílio para advogadas que necessitam de proteção


12.03.21   |   Geral

Benefício é voltado àquelas com inscrição principal na OAB/RS, advogadas e estagiárias vítimas de violência doméstica, cessando a coabitação.

O número de mulheres ameaçadas em 2020 chega aos 33.392 no estado do Rio Grande dos Sul. Foram 18.944 registros de lesão corporal, 1.908 estupros (incluindo vulneráveis), 78 feminicídios consumados e 323 tentativas de feminicídio. São números pesados, são casos reais descritos no monitoramento de indicadores de violência contra a mulher da Secretaria de Segurança Pública do estado.

Não são números bonitos de se divulgar em pleno mês da mulher, pelo contrário, seria um sonho apenas disseminar suas conquistas, que foram tantas, desde os manifestos por direitos civis, ocorridos em 1909, em Nova York.

Como isso ainda não é possível, se faz fundamental levantar estes registros como forma de conscientização da sociedade de que sim, é preciso reforçar ações de combate à violência e proteção à mulher.

“Estes são números oficiais de casos registrados, fora aqueles que ficam no silêncio, em que as mulheres sofrem caladas, por medo de agravar a situação em que vivem. Infelizmente os registros são alarmantes. É preciso união de esforços para que esta estatística seja mitigada”, destaca o presidente da CAA/RS, Pedro Zanette Alfonsin.

Dentre estes números certamente colegas advogadas. A Caixa de Assistência gaúcha, no intuito de estar presente na vida destas colegas em momentos de apreensão e dificuldade, dispõe do Auxílio Proteção, voltado àquelas com inscrição principal na OAB/RS, advogadas e estagiárias vítimas de violência doméstica, cessando a coabitação.

“Contar com o apoio da CAA/RS em um momento extremamente doloroso, no qual me encontrava em uma situação de vulnerabilidade foi fundamental. No momento em que ocorreu uma situação extrema, na qual tive de sair da minha casa, me afastar do meu lar, do meu cachorro, da minha família e amigos para preservar minha vida, saber que poderia contar o auxílio me ajudou muito. Sempre serei grata ao apoio das amigas e da CAA/RS, pois certamente, sem eles, não teria conseguido recomeçar a minha vida”.

“O auxilio proteção oferecido pela CAA/RS foi fundamental, tendo em vista as dificuldades enfrentadas com a separação e possuindo dois filhos em que tive de fazer uma Maria da Penha por perturbação do ex-companheiro. Enfrentei fome, fui roubada pelo meu ex que zerou minha conta bancária, vendeu meu carro, vendeu a casa que tínhamos em Osório e não me passou sequer um vintém, emagreci quase 20kg, tive que fazer tratamento psicológico por stress pós traumático. O Auxilio Proteção me ajudou muito nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro”.

São relatos de duas colegas que requereram o Auxílio Proteção e que, por segurança, terão suas identidades preservadas.

Para usar do benefício é necessária comprovação de ter cessado a coabitação e comprovante de carência socioeconômica. O valor do benefício é de até três parcelas de um salário mínimo vigente. E o prazo é de até seis meses a partir do fato que gerou a solicitação do pedido. É indispensável estar em dia com as anuidades junto à OAB/RS.

A documentação necessária se encontra no formulário. Clique AQUI.

Após preenchido deverá ser enviado para o e-mail: beneficios@caars.org.br

Texto: Carla Wendt / Jornalista DRT 6412